terça-feira, 6 de novembro de 2012

TOSCO (Gilberto Dari Mattje) - ATIVIDADES DE COMPREENSÃO



TOSCO (Gilberto Dari Mattje)
1 – VARIAÇÃO LINGUÍSTICA
O livro Tosco reproduz a fala de diferentes pessoas em diferentes situações de comunicação. “Essas diferenças ocorrem porque existe um grande número de fatores (idade, grupo social, situação de comunicação, assunto, época...) que, combinados uns aos outros, determinam a maneira individual de expressão dos falantes. Dizemos, por isso, que em um idioma ocorrem variações lingüísticas.(AMARAL p. 224)
“Essas variações de linguagem, geradas por influência das condições sociais e culturais dos falantes, recebem o nome geral de variações socioculturais.” (AMARAL, p. 225)
Observamos, também, que muitas dessas variações configuram-se como gírias, ou seja, segundo Houaiss, “linguagem informal com vocabulário rico em expressões metafóricas, jocosas (...) linguagem de marginais, difícil de ser compreendida por outras classes sociais (...). a gíria, a princípio linguagem de marginais, estendeu-se a outros grupos sociais.).”

De acordo com as definições dadas, dê o significado das palavras/expressões destacadas nos excertos do livro:

1) “- Deram um teco no Pitbull!” (p. 32) 
2) “Depois, descobri que o Pitbull tinha um berro. Pois não é que tomaram o revólver do Pitbull e o mataram? (p. 33)
3) “- Tô ligado. Pode crê.” (p. 35)
4) “Trampo? Senti o drama. Ninguém me daria emprego.” (p. 36)
5) “O pisante, fazia tempo que eu arrumava do meu jeito'.” (p. 36)
6)  Pensava em mil coisas: em ir embora, mas para onde? Em pegar um por um dos caras, e em como fazer para voltar a ser quem eu era. Eu era um mico.” (p. 45) 
7) “Deixe de ser tosco!” (p. 48)
8) “Ninguém nos dava moral. E a bronca da Leka não me saía da cabeça, embora não conseguisse mudar.” (p. 51)
9) O meu novo grupo de companheiros não conseguia pegar nenhuma menina, por fácil que fosse. Ninguém nos dava moral. (p. 51)
10) Formavam uma panelinha entre si, diferenciando-se dos demais. Pareceu acharem-se os bons. (p. 55)
11) “Não vai ter espaço pra cara que dá bolo nem pra mau caráter. - Senti que era minha chance.” (p. 61)
12) “Na maior, ele falava as coisas mais duras, mas não ofendia. Passou o braço sobre meu ombro e me deu um sabão! (p. 61)
13) “Em nome da amizade com o professor Jeferson, que nem sequer sabia do respeito que eu lhe devotava, pedi licença para a professora e dei um esbregue nas meninas. Tentei não falar gíria.” (p. 70)
14) Com isso o dono do bar soube qual era meu ponto fraco. Quando a escola abriu, lá estava ele conversando com a direção. Pronto, estava tudo ferrado. (p. 71)
15) “Quase tive um treco: era o professor Jeferson!” (p. 71)
16) “Os caras vieram quentes com os tacos. Nós abrimos, e a minha camiseta do time ficou pra trás. Eu fui lá domingo e hoje cedo pra recuperar a camiseta, mas não teve acordo.” (p. 72)
17) Eu estive na briga em que o mataram. Calculamos mal aquela parada. Apanhei feito burro, mas consegui fugir...” (p. 74)
18) “Apanhei feito burro, mas consegui fugir, só que eu não sabia que o Pitbul1 tinha um trabuco.” (p. 74)
19) “Até hoje fico bolado com essa história. Ele era o cara mais safo que conheci, e mesmo assim se ferrou.” (p. 74)
20) “- Moçada! Sabiam que deram um jeito de se boicotar? - boicote? É quando se tem tudo para dar certo, mas encontra-se uma forma de fazer dar errado - explicou que por motivos diferentes tínhamos nos aliado para promover um boicote na possibilidade de darmos certo.” (p. 78)
21) “- Cara, deixe pra lá. Não é assim que se resolvem as coisas. – Duas meninas intervieram a meu favor e tudo ficou bem. O carinha levantou e foi embora. Mas outros provocavam, dizendo que amarelei.”
22) “No caminho de casa, uma moto passou por mim e buzinou. Era o Samuel. Será que era isso? O Samuel não se boicotava? Preferi pensar que todo mundo ajudava o Samuel e eu sempre tive de me virar sozinho. Que essa história de boicote poderia ser baleIa e pronto.” (p. 79)
23) “Fui andar. Encontrei uns caras e ficamos jogando conversa fora. Fumei um monte, mas não bebi. Ninguém tinha grana e não quis pilhar nada.” (p. 80)
24) “Depois todos comentaram que a colega andava usando uns bagulhos e que já havia batido numa irmã em casa.” (p. 84)
25) “- Oh, mãe! É o seguinte: eu preciso arrumar um emprego e rápido. O professor Jeferson quer ajudar o pessoal do futebol. Mas eu não tenho documentos. Preciso de identidade e carteira de trabalho. Sacou?” (p. 93)
26) Use essa liderança para dar certo, não para ser otário. É pegar ou largar. Entendeu? - E eu era alguém de confiança? Caramba! Era mais um que estava me dando uma chance. Eu não podia decepcionar. Não podia me boicotar.” (p. 94)
27) “- Toma aí, coroa! É pra ajudar nas despesas. Vê se não reclama!- Ela não disse uma palavra, apenas me abraçou e beijou.” (p. 95)
28) “A sensação é que não passaria disso. Fui perdendo a alegria. Fui voltando a ser um cara estourado!” (p. 99)
29) “Repetiu que é assim sempre que perdemos a noção de limite. Quando zoamos demais, bebemos demais, agredimos, interrompemos uma aula, apelamos de alguma forma.” (p. 101)
30) “Atenção pelo negativo e falta de noção de limite faz com que sempre nos ferremos?.” (p. 101)
31) “Calei e entendi. Senti-me em pé de igualdade com o professor. Engraçado, voltei a admirá-Io ainda mais. Ele era um vencedor, não um babaca querendo fazer caridade.”  (p. 102)
32) “Virtualmente, conhecia o mundo. E conhecia a cidade. Falou das pessoas a que ele atendia. Disse que era mais próximo de algumas e, por isso, me indicaria, caso descobrisse que precisassem de funcionários, mas que eu não poderia fazer feio, senão ele também ficaria mal. Topei.” (p. 105)
33) “Foi aí que me dei conta que os adultos também agem infantilmente. Há adultos que também não pensam. Então, embora pareçam maduros, de fato não o são” (p. 105)
34) “- Vai ver que é por isso que sempre acabam se metendo em enrascadas. Por isso fracassam no casamento, no trabalho, na vida. Agem de forma impulsiva, sem pensar, por isso se dão mal.” (p. 105)
35) “Minha mãe sai cedo pro trampo. Minhas irmãs, às vezes, estão trabalhando, mas na maior parte do tempo, não.” (p. 109)
36) “Saio da aula e vou dar um rolê por aí.” (p. 109)
37) “Minhas tias é que sustentam o cafofo.” (p. 109)
38) “- Minhas tias e minha avó são carolas. Não saem duma igreja.” (p. 110)
39)  Foi legal, porque lá tem umas minas espertas.” (p. 110)
40) “- Tô aqui. Pensando na vida. - Senti que ele estava mais desarmado, então aproveitei. Mas tinha de ser com jeito, senão o carinha espanava.” (p. 111)
41) - Tô aqui. Pensando na vida. - Senti que ele estava mais desarmado, então aproveitei.” (p. 111)
42) “- Eu tava na maior fissura, seco mesmo. Então fiquei maluco. Precisava desesperadamente arrumar um troco.” (p. 112)
43) “Precisava desesperadamente arrumar um troco. Peguei uma faca em casa e assaltei um taxista. Rendeu duzentos paus.” (p. 112)
44) Fiquei com um coágulo na cabeça. Minha mãe foi uma guerreira. Foi ela quem lutou por mim. Só ela! Ninguém mais. Se não fosse ela, eu já teria batido as botas. (p. 113)
45) “Eu fiquei lelé de tudo. Não conseguia mais firmar o corpo. Então fui operado e conseguiram tirar o coágulo do meu
       cérebro.” (p. 113)
46) Tenho medo de tudo. Nem dormir no escuro consigo. Também fico bolado com tudo. Sempre acho que tem alguém atrás de mim.” (p. 113) 
47) “- Mas você também usava drogas? (   ) - Tá brincando! Eu comia com farinha.” (p. 113)
48) “- E agora? Você tá limpo? (  ) Agora, tô. Na marra, né, veio! Tomo um monte de remédio por conta do coágulo.” (p. 113)
49) “- E agora? Você tá limpo? (  ) Agora, tô.” (p. 113)
50) “- Mas, professor, nós vamos puxar a brasa para nossa colega!” (p. 115)
51) “Sobraram os finais de semana para fazer um bico como vendedor. Eu me divertia trabalhando!” (125 ) 

(      ) Censura áspera; reprimenda, descompostura
(      )  Ato ou efeito de faltar a compromisso, de ludibriar; lograr.
(      ) Qualquer grupo muito fechado. 
(      )  Capacidade de se impor, de influenciar ou ter ascendência.
(      )  Repreensão áspera; descompostura, sermão.
(      )  Sem cultura, inculto, que se caracteriza pela rudeza; rústico,
          grosseiro
(      )  Vexame, situação embaraçosa.
(      )  Sapato, calçado.
(      )  Trabalho, serviço, atividade.
(      )  Intensamente atento; absorto, concentrado. 
(      )  Revólver.
(      ) Tiro de arma de fogo.
(      )  Descompostura ou repreensão enérgica; bronca.
(      ) Em situação difícil; atrapalhado, prejudicado.
(      ) Mal-estar, qualquer perturbação na saúde; indisposição.
(      ) Fugir, sair.
(      ) Qualquer golpe; empreendimento ou posição difícil.
(      ) Revólver de grande tamanho.
(      ) Muito habilidoso; esperto; desembaraçado,esperto, vivo
(      ) Recusa de um grupo a participar de determinado ato; esquiva
          coletiva ou individual a qualquer atividade a que se tenha sido
          convidado.
(      ) Perder a coragem diante de situação difícil, perigosa,
          embaraçosa etc.; sentir medo.
(      ) Afirmação ou boato infundado ou falso; mentira.
(      ) Apossar-se, por meio de violência do que pertence a outrem;
         furtar, roubar, saquear.
(      ) Cigarro de maconha.
(      ) Entender, compreender.
(      ) Pessoa que perde a paciência com facilidade, que é afeito
          a discussões, brigas. 
(      ) Pessoa de meia-idade ou já em trânsito para a velhice.

(      ) Promover confusão, desordem, fazer grande ruído;
           rir de alguém.
(      ) Deixar ou ficar em má situação.
(      ) Ingênuo; tolo simplório; que ou o que não tem vivacidade
          ou inteligência; bobo.
(      ) Aceitar a parada, o desafio.
(      ) Pequeno passeio; volta.
(      ) Lugar onde se mora; casa; apartamento.
(      ) Pessoa muito devota, frequentadora assídua de igrejas,
           missas, procissões religiosas.
(      ) Menina, garota; mulher jovem.
(      ) Rebater com violência e, às vezes, para amedrontar o
         adversário; agitar, sacudir
(      ) Quem pensa, reflete. Feito ou dito depois de demorada
         reflexão; ponderado, prudente. Que já passou da mocidade.
(      ) Situação adversa; complicação.
(      ) Trabalho, serviço, atividade.
(      ) Expressa admiração, surpresa ou ironia.
(      ) Serviço simples e rápido, de pouca importância; biscate.
(      ) Tratar dos próprios interesses, ou dos interesses dos seus,
         em detrimento das outras pessoas.
(      ) Que não está sob o efeito do álcool ou de entorpecentes,
         também não os carrega consigo.
(      ) À força, a qualquer preço, contra a vontade (de alguém).
(      ) Consumir muito.
(      ) Aborrecido, chateado, amolado; surpreso e confuso; sob
          efeito de tóxicos; doidão.
(      ) Que apresenta sinais de loucura; doido, biruta, maluco.
(      ) Morrido.
(      ) Dinheiro.
(      ) Loucura; apego extremo; forte inclinação.
(      ) Não prevenido; indefeso; carente.


2 - CRONOLOGIA
O livro conta a história de Tosco, respeitando uma ordem cronológica. De acordo com essa ordem, relacione os fatos, ações ou sentimentos de Tosco:


a) Aos 7 anos:
b) Aos 9 anos:
c) Aos 10 anos:
d) Aos 11 anos:
e) Aos 12 anos:
f) Aos 14 anos:
g) Aos 15 anos:
h) Aos 25 anos:
(      ) a escola ficou séria. Sua letra era horrível.
(      ) toma o primeiro porre.
(      ) passa por um grande susto. Pitbull morre.
(      ) virou um pegador. Pegava todas.
(      ) sua mãe o flagrou fumando.
(      ) consolidou a fama do cara que consegue o que quer.
(      ) entrou na sala de aula pela primeira vez como professor de educação Física.
(      ) sua vida virou um terror. Sua mãe brigava e ele gritava de volta e a desafiava. Achava que as
         aulas  eram um castigo. 


3 – PERSONAGENS
Relacione os personagens a seguir a suas características:

ESPETO  - DALILA   - LAURA - SAMUEL – PROFº JEFERSON – LEKA – SALSICHA – CHICÃO –  SHEILA - JOSIANE – TOSCO - PITBULL

a) _____________________ -  Morava com a avó perto de casa Tosco e nunca tinha visto seu pai. É com ele que Tosco brincava quando era criança. O pai estava preso por homicídio e a mãe foi pega traficando e  estava foragida. Foi amigo de Tosco desde a infância.

b) _____________________ -  Um cara franzino com quem ninguém chegava a mexer. Ele andava sempre de boné. Quando o trocava, todos sabiam que havia sido tomado de alguém, e ele o exibia como troféu. Sempre tinha um canivete de pressão no bolso. Encarava todo mundo. Foi morto com sua própria arma. 

c) _____________________ -   Passou a ser o líder do grupo, depois que Tosco foi preso  e delatou a turma, o fornecedor e quem consumia a droga.

d) _____________________ -  Quem começou a briga no bar, que resultou numa surra em Tosco. Aquela em que  ele ficou todo quebrado. Um dia Tosco o encontrou “chapadaço”, então provocou-o e os dois brigaram. Tosco bateu nele e machucou-o bastante.

e) _____________________ -  Era uma garota muito bonita, a mais cobiçada. Tosco começou a investir, mas ela não lhe dava a mínima. Um dia ela o encarou com a maior tranquilidade disse para que sentasse a seu lado, pegou sua mão, olhou-o fundo nos olhos e falou com a voz muito doce que ele deixasse de ser “mala” e parasse de se boicotar. Para Tosco ela era uma princesa. Não tinha grandes atrativos sensuais, mas se vestia bem, era cheirosa, juntava simplicidade e postura sem ser arrogante.

f) _____________________ -  Professor de Educação Física que passou a ser muito admirado por Tosco. Deu-lhe muita força para mudar seu caminho. Tornou-se seu, junto com Samuel,  seu grande amigo.

g) _____________________ -  Brigão, agressivo, vivia agredindo o mundo. Passou a drogar-se, a roubar. Ia para a escola, mas não estudava, só atrapalhava as aulas. Um dia conheceu o professor Jeferson e sua começou a mudar, passou a sentir-se valorizado e a ter um objetivo na vida. Não desperdiçou esta chance que a vida lhe deu: tornou-se uma pessoa muito melhor.

h) _____________________ - Era uma menina gorda, e que seria bonita se não se maltratasse tanto. Certa vez, chegou a dar uma “porrada” na professora de Inglês.

i) _____________________ -  Uma menina superagressiva. Conversava com os colegas o tempo todo. Não largava do celular nem do iPhone. Quando alguém a repreendia, a guerra era declarada. Apareceu grávida de um menino da mesma idade. Tentaram ficar juntos, mas logo brigaram. Logo parou de estudar e sua vida passou a ser uma luta agressiva e sem graça.

j) _____________________ -  Menina linda, cabelos compridos, olhos grandes, andar elegante. Foi namorada de Tosco. Acabou casando com ele.

k) _____________________ -  Tinha os cabelos encaracolados e compridos. Mas o que chamava atenção era seu decote. Não largava seu celular por nada deste mundo. Ficava mandando e recebendo torpedo o tempo todo. Também mascava chicletes o tempo todo. E falava pelos cotovelos.

l) _____________________ -  Usava cabelo rastafári. Vivia com seu iPod enfiado no ouvido. Morava com  a avó, duas tias e um primo “mala”. As tias e a avó eram carolas. Não saiam de uma igreja.

Referências
AMARAL, Emília; et al. Novas palavras, nova edição. V. 1. 1. ed. São Paulo: FTD, 2010.
HOUAISS, Antônio. Dicionário eletrônico Houaiss: dicionário da Língua Portuguesa. Objetiva.
MATTJE, Gilberto Dari. Tosco. J. Campo Grande:  Gráfica e Editora Alvorada, 2009.

Organizadora: Professora Angela Altoff Raldi - EEB Dom Joaquim - Braço do Norte

 

 )

Nenhum comentário: